• Nélio Wanderley

ANP estabelece a especificação do Diesel Verde



O Barril de Petróleo na Europa (BRENT) fechou ontem em US$ 69,46 ALTA acumulada em +1,09%, e nos EUA (WTI) fechou em US$ 66,27 ALTA acumulada em +1,38%. O Dólar fechou em R$5,27 ESTÁVEL +0,00% e o Etanol Hidratado em Paulínia/SP fechou em R$3,04 ESTÁVEL -0,77%.


- DIRETORIA DA ANP APROVA ESPECIFICAÇÕES DO DIESEL VERDE: O regulamento aprovado está em linha com a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), de que trata a Lei nº 13.576, de 26/12/2017, que visa à expansão do uso de biocombustíveis na matriz energética brasileira, com vistas à segurança energética, previsibilidade para a participação competitiva dos diversos biocombustíveis no mercado nacional e mitigação das emissões dos gases geradores do efeito estufa. Ademais, embora ainda não haja produção nacional, a publicação permite que o Brasil possa fazer parte do rol de produtores internacionais de combustíveis avançados, tais como EUA, Itália, Finlândia, Singapura, Suécia, Espanha, China e França. No Brasil, a regulamentação do diesel verde poderá viabilizar também a produção e comercialização do bioquerosene de aviação, já regulamentado pela Resolução ANP nº 778, de 2019, uma vez que a produção de biocombustíveis no contexto de biorrefinaria gera diferentes bioprodutos em um mesmo processo.

Fonte: gov.br/anp/pt-br

- EMPRESA BRASILEIRA INVESTE US$ 800 MILHÕES NA 1ª BIORREFINARIA DO HEMISFÉRIO SUL: A biorrefinaria é chamada de Omega Green e será construída na cidade de Villeta, próxima à capital Assunção. O início de operação está previsto para 2024. Além de fabricar o HVO e o SPK, a unidade também produzirá a nafta verde, usada na indústria química para fazer plástico verde e demais produtos. Os biocombustíveis ganharão mais força a partir de um investimento nacional. Com investimentos e participações em empresas agroenéticas, já produzindo biodiesel e energia elétrica no País a partir de fontes renováveis, a holding brasileira ECB Group construirá a primeira biorrefinaria de biocombustíveis avançados do Hemisfério Sul. Serão US$ 800 milhões aplicados numa unidade no Paraguai. A iniciativa marca o primeiro projeto de biocombustíveis avançados no país vizinho e o maior investimento privado na história do Paraguai. “Quando tratamos de biocombustíveis, estamos vivendo o auge da primeira onda com o etanol e biodiesel como protagonistas”, explica o executivo Erasmo Carlos Battistella, CEO do ECB Group. “Neste ambiente, também temos os biocombustíveis avançados, como o chamado diesel verde (HVO, na sigla em inglês para Hydrotreated Vegetable Oil) e o combustível sustentável para aviação (SPK, do inglês Synthetic Paraffinic Kerosine, ou SAF, Sustainable Aviation Fuel). Eles serão indispensáveis para combater as mudanças climáticas e cumprir as metas de redução de gases de efeito estufa (GEE)”.

Fonte: agrosaber.com.br






Nélio Wanderley

SAIBA MAIS

1 visualização0 comentário